texto_proprioO Papo de Pracinha tem como uma de suas principais ações promover o brincar livre, incentivando a ocupação dos espaços públicos de lazer da cidade, principalmente aqueles que ofereçam às crianças e suas famílias a possibilidade de conviver com a natureza. Através do Bora Lá brincar na cidade, temos levado inúmeras famílias com suas crianças, para brincar, em diferentes espaços da cidade, com materiais e brinquedos que têm como características a simplicidade e a sustentabilidade. Em duas edições do Bora Lá (Parque Guinle 2017 e Lagoa 2018) tivemos a participação da equipe do Programa Criança e Consumo do Instituto Alana, com a Feira de Trocas de Brinquedos, uma ação que se afina por completo aos nossos princípios e práticas. Uma experiência onde o consumo fica de fora, centrando-se na troca de afetos, por meio da troca de brinquedos. E compartilhamentos entre crianças e famílias. Por tudo isso, nosso texto de hoje é de Leonardo Milano, do Programa Criança e Consumo. Vale muito a pena a leitura!


Quando as praças ganham vida

Logo

 

Por Leonardo Milano*

Você pode não saber –  ainda – mas a sua praça é o local perfeito para receber uma Feira de Trocas de Brinquedos. Como assim, “minha” praça, você pode se perguntar. Bom, todos nós temos uma praça de coração ou, pelo menos, deveríamos. Aquela que fica no nosso bairro e que decidimos adotar nem que seja apenas como ponto de passagem quando saímos para passear com os cachorros ou com o bebê e as crianças. Podemos até não frequentá-la muito, mas, provavelmente, você, assim como eu, adquiriu afeto por uma praça perto de casa e gostaria de vê-la mais bem cuidada e cheia de vida. Bom, chegou a hora de realizar esse sonho! 
Infelizmente, muitas das praças que frequentamos são perigosas, pouco acessíveis, sujas, desconfortáveis e mal iluminadas. Por mais que a vontade exista, nem sempre é tão fácil desfrutar desses locais. No entanto, a ocupação dos espaços urbanos é a melhor tática para que esse mesmo espaço receba mais atenção do poder público. As melhorias que tanto queremos para a grande maioria das nossas praças só virá quando estivemos frequentando-as. Para que esse processo ocorra, um caminho é a consolidação de um grupo coeso de pessoas conscientes dos problemas e das possíveis soluções e alternativas que podem trazer mais conforto e segurança para as praças que integram os seus respectivos bairros. E é só depois que tivermos esse grupo de pessoas articulado que o poder público dará mais atenção às nossas demandas relativas ao nosso bairro.

Muitas vezes, quando essa articulação comunitária funciona, os próprios vizinhos dão conta de melhorar as condições de uma determinada praça, rua ou calçada. Os marceneiros do bairro se juntam para construir mobiliário urbano, como bancos e mesas, para deixar a praça mais confortável. Mutirões de limpeza e de plantio e cuidado com as árvores tornam-se rotina. Todos se sentem pertencentes àquele local, àquela praça, como sendo uma extensão da sua própria casa e todos passam a cuidar da tal praça como se estivessem cuidando do seu próprio lar. A quantidade de lixo diminui e todos passamos a desfrutar de um local ao ar livre para brincar com as crianças e encontrar os vizinhos. Foi exatamente o que aconteceu na Praça da Nascente, na Pompéia, e na Praça Horácio Sabino, em Pinheiros, por exemplo. Os vizinhos se articularam e hoje, desfrutam de um ambiente absolutamente acolhedor e comunitário. Um outro exemplo interessante é o movimento Boa Praça que busca promover exatamente esse tipo de ocupação e consequente recuperação das praças públicas que nos cercam.

A partir da disseminação do sentimento de pertencimento entre os vizinhos, é hora de cobrar o poder público a arcar com suas responsabilidades. E quando um grupo de pessoas se organiza o poder público responde.

Esse tipo de articulação costuma evoluir aos poucos. E, para acelerar esse processo, atores locais precisam se mobilizar para promover ações nos espaços públicos de cada bairro. Com este artigo, queremos te convencer de que organizar uma Feira de Trocas de Brinquedos pode ser uma excelente opção para levar vida a uma praça.

As Feiras de Trocas de Brinquedos são um projeto coordenado pela equipe do programa Criança e Consumo, do Instituto Alana. Nosso objetivo é possibilitar que todo e qualquer cidadão possa organizar a sua própria Feira em qualquer lugar do Brasil. Para isso, em nosso site, oferecemos diversos materiais de apoio para os potenciais organizadores e também um canal direto de comunicação para prestar o auxílio necessário, através do e-mail fdt@alana.org.br.

O Criança e Consumo, por sua vez, foi lançado em 2006, com a missão de promover a reflexão sobre como o consumismo afeta negativamente as nossa vidas para, assim, propor soluções para que possamos proteger nossas crianças dos abusos mercadológicos que as acometem diariamente.

A Feira de Trocas de Brinquedos, projeto lançado em 2012, se propõe a ser uma dessas ferramentas. Numa Feira de Trocas o consumo está vetado. Nada pode ser vendido ou comprado. Apenas trocado ou compartilhado. Queremos que as famílias deixem de lado os shoppings e as lojas por pelo menos um dia para desfrutar de uma experiência de carinho e afeto livre de qualquer tipo de relação de consumo.

Para isso, basta reunir a criançada para trocar brinquedos, momentos e brincadeiras. E se for ao ar livre e em meio à natureza melhor ainda! Por isso, as praças se mostram perfeitas para receberem esse tipo de interação.

Ao organizar ou ajudar na organização de uma Feira de Trocas de Brinquedos você estará ocupando um espaço vital para a saúde e bem estar das pessoas que vivem em seu bairro, criando laços afetivos com a sua praça, promovendo o encontro da comunidade e, ainda por cima, nos ajudando a levar a reflexão acerca do consumismo para outros espaços e famílias. E nem dá tanto trabalho assim!

Com o tempo, as pessoas de seu bairro perceberão como pode ser agradável passar a manhã ou à tarde naquela pracinha à princípio abandonada e, assim, se apropriar dela. Mais e mais eventos e encontros acontecerão e cada vez mais pessoas terão o interesse de contribuir com melhorias para o local. Novamente, temos um bom exemplo para te mostrar que essa tática dá certo, pois foi exatamente o que aconteceu após uma Feira de Trocas de Brinquedos ter sido organizada no Jardim Botânico de Brasília.

Para saber mais sobre as Feiras de Trocas de Brinquedos e organizar a sua basta acessar o site: www.feiradetrocas.com.br

Logo

26.08.2018 | Feira de Troca de Brinquedos | 2018

*Leonardo Milano é jornalista e mobilizador do programa Criança e Consumo, do Instituto Alana.

 

0 comentário em “Feira de Trocas de Brinquedos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: